sábado, 28 de janeiro de 2017

Teorias da vida

Hoje venho escrever sobre algo diferente do usual não por razão especial apenas porque sim. Já muitos amigos me ouviram dizer que me encontro na melhor fase da minha vida, algo que muito queria está agora a acontecer tão devagar e tão depressa que ainda existe um medo real que algo aconteça ou que alguém me tire este sentimento este amor por alguém que ainda não vi.
Venham dai amores passados ou qualquer familiar que este amor ultrapassa qualquer um, qualquer coisa em qualquer momento.
Hoje quase não dormi e sinceramente há uns dias que durmo menos que o habitual sendo assim esta cabeça coloca-se em posição de ataque enquanto se defende de pensamentos mais obscuros.
Não foi fácil ser eu, pensar que iria ser tudo de uma maneira e mais de metade das vezes sair tudo ao contrário também não foi fácil sentir-me sozinha mesmo sabendo que não estava mesmo tendo eu tanto amor por todos os lados.
Não foi fácil ter de admitir que a vida não é a teoria que as novelas e os filmes nos ensinam sendo forçada a cair sem saber bem como levantar, ainda hoje não é fácil viver num mundo que de justo nada têm.
Acordar todos os dias e saber que assim que a TV ligar vem por ai um sem conta de más notícias injustiças humanas massacres ambientais e a falta de amor, uma falta de amor por todo o mundo.
Sei bem o que devo fazer todos os dias quando acordo (ou quando não durmo) sei como deveria reagir ao fracasso familiar que me foi apresentado ainda tenra idade, sei isso tudo e ainda assim algumas manhãs fico sem jeito sem saber falar ou escrever. Faltam-me as palavras quando entro em choque apercebendo-me que a vida que me apresentaram nada é como sonhei.
Pergunto-me continuadamente talvez para me desculpar de tantas vezes cair no erro crasso de ir de encontro a erros passados.
Não há como viver isto da maneira mais correta, sem manuais até assusta quando cai a ficha, nada posso fazer para contrariar todas as teorias existentes.
Não preciso fazer igual aos outros apenas o certo para mim pois já sabemos que para uns tudo corre mal e para outros nem tanto. Quem sou eu para dizer qual desses sou com tanta falta de amor por ai.

Kisses

sábado, 21 de janeiro de 2017

As coisas fantásticas que me acontecem (or not) #1

Nem sei bem por onde começar visto que este mês têm sido algo entre o cómico e o não-quero-acreditar-que-isto-me-está-a-acontecer.
A semana passada tive de ir às urgências no Hospital de Cascais pois já estava há três dias com o olho vermelho umas dores de cabeça a puxar para a enxaqueca que já não se podia, como toda a grávida que vai a um Hospital temos antes de tudo ser vistas por um obstetra e assim foi...tipo umas quatro vezes antes de ser vista por uma médica nas urgências passado umas três horas de pura seca onde primeiramente se avariou uma máquina de ecografia (e tive de esperar por outra da idade da pedra) em seguida fui colocada numa sala de espera que nem era a sala onde eu deveria estar, onde estive quase duas horas até começar a ficar rabugenta com fome e finalmente me indicarem a sala adequada onde fui feliz pois tinha comida por perto e finalmente fui atendida.
Dois dias a tomar Benuron mais umas gotas para os olhos já começando a ter esperanças que estaria a melhorar volto a ficar com o olho vermelho vermelhão e as enxaquecas voltam.
Penso que desta vez é de vez que 'mim' não gosta nada de ir ao Hospital e tomar 'coisas' tipo Benuron. x)
Para juntar a isto tenho tido sonhos de grávida que consistem em serem o mais parvos possíveis desde sonhar com animais a fazerem as mais variadas coisas a eu própria sonhar que estou a sonhar com versões da minha vida onde nada faz sentido. Senti-me melhor ao pesquisar pois vi que realmente cada trimestre tem os seus sonhos e não estou sozinha neste acordar diário com sentimentos confusos, nada como sonhar que nos sentamos ao lado de um gorila e vemos TV com ele!
Entrando agora no segundo trimestre de gravidez comecei então a chorar que nem uma Maria arrependida ao ponto de: chorar, rir depois chorar e rir enquanto tenho o Tiago à minha frente a rir-se que nem desalmado à procura de um telemóvel a jeito para filmar a Patrícia a chorar por razão nenhuma, parar de chorar pois não há razão para tal e começar a chorar porque estou feita totó a chorar sem razão!
Às tantas desato à gargalhada enquanto choro porque até tem uma certa piada e se fosse eu a assistir a algo assim seria muito pior que o meu namorado que até hoje apenas se fica pelas gargalhadas.
Por fim tenho os meus queridos cães. Estes seres maravilhosos (e grandes) que comigo habitam não me largam, não me largam mesmo!
Ora se antes eram apegados posso dizer que agora eles tem cola tudo pois chego a ter a casa de banho cheia porque a dona não-pode-ir-sozinha não vá a sanita comer-me viva!
Para qualquer lado que eu vá tenho três sombras junto a mim, seja qual for o sitio onde eu durmo ou apenas faço uma soneca tenho três bolas de pelo em cima (sim em cima de mim)....porque ao lado era pouco protetor percebem...?
O mais novo e maior cão da casa anda feito sei-lá-o-quê a rosnar às paredes porque (mais uma vez) podem as paredes comerem-me ou o de repente tudo e todos podem fazer-me mal e ele tem mesmo MESMOOOOOO de me proteger.
Posso vos dizer que tenho sempre de andar pela casa com atenção para não tropeçar em nenhum deles quase peço autorização para me virar na cama (ou o sofá) e acho que o Tiago começa a ter que fazer o mesmo para poder estar perto de mim. x)
Digam lá que este mês de Janeiro não está a ser super funny ? 

kisses*

sábado, 7 de janeiro de 2017

O primeiro Trimestre

Boas noites :)
Hoje venho escrever sobre o primeiro trimestre da minha Gravidez e como para além de ser a melhor fase da minha vida é também a mais estranha.
Como sabem uma pessoa tem de cortar no álcool não pode comer por dois nem esquecer de tomar o bom do ácido fólico, o sono aumenta que é uma loucura e infelizmente para mim os enjoos e náuseas tem sido uma constante.
Não se sente nada de especial mas sempre que faço uma Ecografia tanto eu como o papá ficamos que nem manteiga derretida e o que mais mexeu connosco foi poder ouvir o coração a bater de uma coisinha tão pequenina ainda.
A alimentação teve de mudar um pouco e comi manga nas primeiras semanas que nem uma maluca fora isso dá-me para os salgados e os doces que antes me era tão apelativo são agora algo que dispenso de bom grado.
As dores abdominais apesar de nada serem em excesso é meio caminho andado para me preocupar e as pesquisas são sempre mais que muitas onde depois feita pateta concluo que é perfeitamente normal, é uma novidade que me faz ser mais tonta (que o normal) e mais preocupada também.

Tenho amigas que nada sentiram nesta primeira fase mas eu até pano na gravidez tenho, posso contar com uma série de vómitos e dou por mim a pedir que seja uma hora pequena porque este feijãosinho quer dar-me trabalho ainda antes de nascer.
Eu e o Papá já andamos a ver nomes e o mais complicado é mesmo gostarmos de algum os dois, normalmente ou eu gosto e ele odeia ou eu odeio e ele faz cara feia.
Faz parte de toda esta experiência linda e que já me era desejada, quando estamos com a pessoa certa tudo o resto se torna certo ainda mais quando o vejo a olhar me a barriguinha e a sorrir, ele acha graça diz-me. Não passa um dia em que não me faça festas na barriga com um olhar carinhoso é uma sensação maravilhosa!

Ainda não sei o sexo do feijãosinho será algures este mês se ele ou ela assim quiserem mostrar, estou muito ansiosa que assim tanto a escolha do nome fica muito mais fácil como a compra das primeiras roupas e mesmo assim já irá ter algumas coisas em amarelo. :P

E assim tem sido o primeiro trimestre de uma gravidez que felizmente provoca muitos sorrisos em todos os que me amam.

Resto de um bom fim de semana*

kisses

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Pós Festas

Olaaaaa !
Já em 2017 venho vos falar do que todos os que recebem pessoas em casa nestes dias festivos passam..o pós festa composto por uma série de delicias tais como um acumular de loiça mais parece que recebeste um batalhão, o frigorífico tão enorme e de repente tão pequeno onde tentas desesperadamente ser ninja e encaixar tudo em tupperwares de modo a que não vejas nada mais nada menos que um frigorífico com ar de cubo de Rubik e já que referi os ditos não se foge ao ritual do 'leva qualquer coisinha' por um lado porque fica sempre bem, por outro porque fica sempre melhor não deitar comida fora.
Com a comida vão os tupperwares que tu nunca mais vês e de repente a casa fica vazia tu tens sono amanhã tens um almoço para o qual acordas mesmo mesmo à justinha e deixas a tua casa num pranto,  enches a barriga passas aquele tempo de praxe voltas ao quentinho da tua casa onde todo um pós festas te espera e com coragem começas a lavar tudo entretanto chega o lanche e vai-se aos restos, chega o jantar restos são, quando achas que te livraste da comida extra e um lavar excessivo de loiça chega mais uma festa 🎉.
Depois do Natal quase nem se sente os dias a passar e lá entrámos na cozinha novamente para um cozinhar excessivo (faltar é que não) onde tudo se repente novamente para uma passagem de ano onde comida não falta. Eu acho que lá para os Reis isto da comida e da casa em ordem está resolvido 😁🤛🏼
É assim todos os anos sem tirar nem por.

kisses